necessidade de cursar COEM - Antonio de Mello

Tenho verificado que o estudo da mediunidade tem sido uma exigência, mesmo para aqueles que, embora com conhecimento da Doutrina e experiências em outros centros espíritas. Estes, quando mudam de centro, precisam fazer o curso COEM, no centro onde aportam novatos, para participarem de reuniões mediúnicas.

 Porquê a obrigatoriedade?

 Resposta:

 331. Uma reunião é um ser coletivo, cujas qualidades e propriedades são a resultante das de seus membros e formam como que um feixe. Ora, este feixe tanto mais força terá, quanto mais homogêneo for. Se se houver compreendido bem o que foi dito (nº 282, pergunta 5), sobre a maneira por que os Espíritos são avisados do nosso chamado, facilmente se compreenderá o poder da associação dos pensamentos dos assistentes. Desde que o Espírito é de certo modo atingido pelo pensamento, como nós somos pela voz, vinte pessoas, unindo-se com a mesma intenção, terão necessariamente mais força do que uma só; mas, a fim de que todos esses pensamentos concorram para o mesmo fim, preciso é que vibrem em uníssono; que se confundam, por assim dizer, em um só, o que não pode dar-se sem a concentração. O Livro dos Médiuns – Allan Kardec

 Isto posto, vemos a necessidade da conformidade. Mesmo para quem vem de outro centro e já tenha experiência em Espiritismo, é preciso a união de pensamento, a interação que se dará se todos estiverem no mesmo nível de aprendizado, entendimento e evolução para o trabalho.

  Daí, se todos tiverem passado pelo mesmo COEM, essa coesão será mais firme e formará a “família” de trabalhadores.

 Quanto aos que já fizeram o COEM em outros centros, fazer de novo só vai acrescentar mais conhecimento e prática e oportunidade de interação com pessoas com o mesmo objetivo.

 Por Antonio de Mello

 

Rádio CEAC – Bauru SP